6 Dicas para criar um jogo mais engraçado e dinâmico

Tempo de leitura: 4 minutos

É possível que você já tenha pensando em ideias para criar um jogo bem ousado, com muita ação e aventura. Jogos que capturam a atenção de qualquer pessoa apaixonada por games e que vão fazer seu nome no mercado de games crescer.

Porém, quando desenvolveu a parte prática do seu projeto e viu seu jogo pronto, encontrou algo sem divertimento nenhum, desinfetante. E o pior, ficou sem saber ao certo como seu projeto promissor resultou em um game fraco.

E se você não sabe o que fazer para corrigir esse erro no jogo, ou pelo menos não desenvolver mais jogos tediosos, leia atentamente este artigo.

Hoje, vou trazer 6 dicas bem simples para que você desenvolva um jogo bem dinâmico e divertido.

Então presta bem atenção nas próximas linhas, pois iremos ver algumas possibilidades bem interessantes do que você poderá implementar em seu jogo.

O que iremos aprender hoje?

// #1. Deixe as informações importantes mais legíveis
// #2. Priorize a simplicidade da interface do usuário
// #3. Deixe o salto mais fácil e divertido
// #4. Seu personagem precisa de estados de animação
// #5. Desenvolva itens colecionáveis
// #6. Comece com uma história bem elaborada


#1. Deixe as informações importantes mais claras

deixe as informações importantes mais visiveis

Com certeza tem coisas no seu jogo que serão muito importantes para o jogador, busque-as deixa-las bem visíveis. As plataformas, que os personagens irão andar, devem se destacar do cenário que está em segundo plano.

Os itens colecionáveis ​​devem ser reconhecidos facilmente. E para que o jogador não tenha dúvidas, uma olhada na HUD deve fornecer todas as informações necessárias. Uma fonte facilmente legível é obrigatória. O jogador deve saber o que está acontecendo no menu.


#2. Priorize a simplicidade da interface do usuário

Priorize a simplicidade da interface do usuário

O jogador pressiona o botão de salto para pular. Essa é uma interface de usuário simples. O desafio para o jogador é apertar o botão de pulo no momento certo para completar a fase.

Em outras palavras, o desafio não é usar a interface, mas usá-la no momento certo. Quanto mais transparente e intuitiva for a interface, melhor. Se os motoristas na estrada tivessem que se concentrar em como virar seus veículos, haveria muito mais acidentes.

A interface simples também se aplica aos menus e a todas as outras seções interativas de um jogo. Deve ser fácil navegar entre itens de menu e selecionar itens.


#3. Deixe o salto mais fácil e divertido

Deixe o salto mais fácil e divertido

Tradicionalmente em jogos, um jogador só pode começar a pular se estiver em pé em alguma coisa. Permita que o jogador comece a pular enquanto estiver no ar, quando ele acabou de sair da borda de uma plataforma.

Esse recurso é conhecido como “pulo duplo”.

Ele consiste em criar uma folga de cerca de um segundo em que o jogador pode começar a pular enquanto estiver no ar – depois de um segundo, ele não pode mais pular e continua a cair para baixo. Isso facilita o salto de uma plataforma para outra.


#4. Seu personagem precisa de estados de animação

Seu personagem precisa de estados de animação

Os movimentos do jogador não devem ser limitados por suas animações. O ideal é que qualquer animação seja capaz de iniciar a partir de qualquer outra animação, a qualquer momento.

O jogador quer correr, pular, agarrar-se a uma escada no ar, subir, disparar sua arma e pular da escada. As animações devem permitir que ele faça isso.


#5. Desenvolva itens colecionáveis

desenvolva itens colecionaveis

A maioria das crianças coleciona coisas, simplesmente porque é divertido. Essa mesma sensação de alegria acontece quando você coleciona coisas em um jogo digital. Coloque coisas colecionáveis ​​no jogo. Quanto mais melhor.

Isso irá tornar tudo mais divertido.


#6. Comece com uma história bem elaborada

Comece com umas história bem elaborada

Defina a história do jogo no início do desenvolvimento. A história é uma diretriz para a atmosfera geral do jogo, estilo de arte e objetivos. A história pode ser complexa ou uma única linha de texto.

Você pode revelar a história para o jogador em cenas cortadas (famosas cutscenes) e diálogos, ou você não precisa mostrá-la ao jogador.

Exemplo: Um policial solitário luta contra gangues em um bairro violento. A partir desta história, sabemos do que se trata o jogo, podendo, então, definirmos algumas coisas:

  • solitário – personagem solitário;
  • policial – lutador, esquisito, resistente contra armas de água, atirar coisas
  • luta – ação, luta
  • gangues – muitos inimigos, implacáveis
  • inimigo – com e sem armas
  • bairro violento – lugar comum

Conclusão de dicas para criar um jogo

conclusao de dicas para criar um jogo

Agora você deve partir pra ação. Aplique hoje mesmo essas seis dicas e transforme a qualidade e capacidade de divertir dos seus jogos.

Afim de avançar em uma jornada épica de Desenvolvimento de Games?

Conheça o Treinamento mais completo do Brasil Que irá fazer de você Desenvolvedor de Games Profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *